Banner_Bioset
Banner Cursos
BANNER 5 ANOS 1 copiar
Author

Redação Estética e Mercado

Browsing

Profissional critica decisão e afirma prejuízo para pacientes e especialistas

 

Ao afirmar que não há comprovação da segurança e eficácia no uso da ozonioterapia para aplicação médica, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, no dia 10 de junho, nota técnica que regulamenta o uso de ozônio em procedimentos odontológicos e para fins estéticos. Medida que gerou insatisfação entre profissionais que fazem uso tratamento.

Prof. Fabio Borges

Professor e fisioterapeuta, Fábio Borges afirma que vai continuar a usar ozonioterapia das mais variadas formas, desde que seja segura. “Utilizo o tratamento com base na literatura mundial que leio, entendo e me respaldo. Pesquiso e já coloquei a prova de que ela funciona”, afirma o profissional sobre seu posicionamento sobre o assunto.

 

Nota técnica

De acordo com a nota técnica da Anvisa, as indicações aprovadas para o uso da tecnologia são: dentística (tratamento de cárie dental); periodontia (prevenção e tratamento de quadros inflamatórios/infecciosos); endodontia (potencialização da fase de sanificação do sistema de canais radiculares); cirurgia odontológica (auxílio no processo de reparação tecidual); estética (auxílio à limpeza e assepsia de pele).

“Ficamos assustados, inseguros e temerosos com a decisão. Nós que fazemos uso da tecnologia estamos vendo coisas boas, resultados efetivos e consistentes com segurança”, revela.

 

Ainda segundo o Professor, existe um artigo da Constituição Federal no qual esclarece que não cabe à Anvisa reconhecer práticas, procedimentos e terapias como procedimentos clínicos, mas sim aos Conselhos Profissionais. Tudo deve ser feito com base em evidências científicas, por meio de pesquisas e estudos que comprovem eficácia e segurança.

“No caso da Agência, o cuidado é sobre o recurso a ser utilizado nestas terapêuticas em que os Conselhos devem se posicionar”, diz.

Mudança

No ponto de vista de Borges, para mudar a realidade, os profissionais dependem das empresas para que busquem atualização dos registros de seus aparelhos. “É necessário registrar os equipamentos a fim de que estes tenham diferentes utilidades e não apenas odontológicas”, diz.

 

Além disso, o professor assegura que os Conselhos Federais das diferentes profissões habilitadas a fazer uso da ozonioterapia devem normatizar a técnica no Brasil de forma clara e evidente. Atualmente, os Conselhos de Farmácia e da Biomedicina reconhecem a eficácia do tratamento, entretanto não há especificidade nas resoluções de quais tratamentos os profissionais podem realizar por meio do uso de ozônio em procedimentos.

 

“No caso do Conselho de Enfermagem, por exemplo, cita apenas que o profissional pode fazer ozonioterapia, mas não diz de que forma”, revela Borges, que acrescenta: “Precisamos unir forças para chegar e colocar para a Anvisa que tal medida e atitude traz prejuízo grande para uma grande classe de profissionais. Sem contar para os pacientes, que já fazem uso e sentem os benefícios da ozonioterapia”.

Somente desta forma, opina o docente, haverá um melhor norte para o uso da ozonioterapia.

Quer saber mais sobre o assunto? Clique aqui

 

Profissionais buscam conhecimento em cosmetologia para melhorar resultados de procedimentos; iniciativa também é uma forma de aumentar faturamento

Muito além de um injetor. O dentista com especialização em harmonização orofacial (HOF) pode ser destaque na área se conhecer a pele, entender seu processo de envelhecimento e utilizar artifícios e técnicas, embasadas cientificamente, para minimizar suas consequências.

Dr. Dimitri Mascaretti Ortiz

“A pele é a vitrine de todos os procedimentos que realizamos na área de harmonização orofacial. Consequentemente, uma pele desnutrida, desidratada ou manchada impede que o resultado do tratamento seja perceptível em sua plenitude”, explica o dentista e executivo para Harmonização Orofacial na Anna Pegova, Dimitri Mascaretti Ortiz. “Por isso, é fundamental o uso de dermocosméticos para adequar a pele para receber os procedimentos. Além disso, no dia a dia, um skincare adequado as necessidades de cada paciente é uma forma de potencializar os resultados e prolongar os efeitos desejados”, acrescenta.

Mercado

A cosmetologia é a área responsável pelos estudos e fabricação de produtos cosméticos. Abrange seus funcionamentos e técnicas de aplicações, as propriedades de suas matérias-primas e os agentes ativos presentes na composição química. Sem a cosmetologia, muitos protocolos de intervenção estética não existiriam.

Dimitri conta que existe um número cada vez maior de profissionais se aprofundando no conhecimento de pele, na cosmetologia e na cosmiatria. “O mercado entendeu que não existe HOF de excelência sem que a pele seja cuidada diariamente”, revela.

Ainda segundo o profissional, o dentista não precisa ser expert no assunto. “Mas logo, não haverá espaço para o profissional que não proporcionar isso aos pacientes. Seja se aprimorando no assunto, tendo um bom suporte técnico ou adotando o formato multidisciplinar no atendimento em sua clínica ou consultório”, afirma. 

Parceria de sucesso com marca de dermocosméticos completa 2 anos 

Após 10 anos atuando com harmonização orofacial, Dimitri se transformou no executivo da marca Anna Pegova. Isto porque a cobrança era cada vez maior de seus pacientes.

“Me sentia desconfortável em não saber passar as orientações necessárias aos meus pacientes. Da mesma forma entendia que alguns tinham uma pele saudável, outros não. Isto interferia significativamente nos resultados”, relembra.

O contato com a Anna Pegova surgiu em um congresso. O modelo de parceria com profissionais – que fornece suporte técnico, comercial e de marketing para que o profissional seja atendido em todas as necessidades –, assim como o curso para o aprofundamento no conhecimento de pele e a interação dos dermocosméticos aos procedimentos de HOF chamaram a atenção de Dimitri.

“A marca está há mais de 70 anos no mercado e se dispõe a compartilhar sua expertise, além de transmitir conteúdo proporcionando o aperfeiçoamento dos profissionais. Algo inédito em todo o mercado de harmonização orofacial”, afirma Dimitre, que acrescenta: “Diante do meu encantamento por tudo isso e por ter em minha formação MBA em gestão empresarial, quando recebi o convite para ser o elo de ligação entre a marca e o mercado HOF, não pensei duas vezes em aceitar. É um orgulho poder fazer parte disso há quase dois anos”.

Nova fonte de receita

Além de um parceiro técnico, a forma atraente da marca expor os produtos que, ao serem comercializados nas clínicas e consultórios, criam uma nova fonte de receita antes inexistente, o segmento gera uma recorrência, um retorno do paciente, em um tempo até quatro vezes menor.

“Isto ocorre porque quando acaba o produto, o paciente retorna para repor e isso facilita a contratação de novos serviços”, afirma o especialista.

E o mercado de HOF não atrai apenas mulheres. O segmento de cosméticos e produtos de beleza voltado para homens atingiu US$ 69 bilhões em 2020 e deve seguir em crescimento, segundo informações publicadas na revista Você S/A em abril deste ano.

A previsão é que o setor movimento US 78,6 bilhões em 2024. “Esse definitivamente é um caminho crescente e sem volta! As mulheres estão ainda muito à frente quando o assunto é estética mas os homens ‘acordaram’. Agora, eles que lutem!”, finaliza Dimitri de uma forma descontraída.

 

SOBESE realiza, no dia 14 maio, 1° Meeting de Estética, em São Paulo

 

Instrumento de geração de saúde e bem-estar, a estética é uma realidade cada vez mais frequente na vida dos profissionais de enfermagem. E se aperfeiçoar é necessário. Frente ao cenário, a Sociedade Brasileira de Enfermeiros em Saúde Estética (SOBESE) realiza no sábado, 14 de maio, o 1° Meeting de Estética.

O evento é presencial e ocorre na Faculdade Ibeco, em São Paulo. Com foco nos enfermeiros graduados, pós-graduados e nos acadêmicos, a iniciativa reúne profissionais renomados com o objetivo de entregar conteúdo de qualidade.

Temas abordados

Entre os temas abordados, destaque para: tratamento de Ozonioterapia; empreendedorismo e transição de carreira; harmonização full care; estética do futuro; entre outros.

A expectativa dos organizadores é reunir cerca de 80 profissionais. A atuação do enfermeiro na estética é permitida por lei há 40 anos. Mas para atuar na área, é necessário ser especialista e ter certificado reconhecido pelo conselho da classe.

“O domínio das técnicas injetáveis é uma realidade do enfermeiro há anos. O profissional tem, além da bagagem técnica científica, um olhar holístico, atento ao bem estar e saúde do seu paciente”, afirma uma das organizadoras do evento e diretora da SOBESE, Dra. Renata Gerbelli.

 

Inscrições

As inscrições estão abertas e podem ser feitas até quinta-feira, dia 12 de maio, pelo link https://bit.ly/3LNexuC . A comissão organizadora do Meeting é composta pelas diretoras da SOBESE, Dra. Natália Augusto, Dra. Natanna Viana, Dra. Karen Moraes, Dra. Renata Gerbelli, Dra. Priscila Ribeiro e Dra. Cristiane Pontes.

 

Com o aquecimento do mercado estético, classes C e D passam a procurar tratamentos injetáveis

O segmento de estética é um dos que mais cresce no país, sendo considerado o segundo do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. É o que aponta a pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) realizada no ano passado. Apenas no segundo trimestre de 2020, mesmo com a crise causada pela pandemia, o setor teve um faturamento de R$ 7 bilhões.

E dentro desses números, as classes C e D são as que se destacam no crescimento da procura por procedimentos injetáveis, segundo Paula Caroline Garcia, biomédica e CEO da Clinic Cursos. Antes esses tratamentos só eram possíveis para classes mais elevadas e, agora, estão mais acessíveis.

“Cerca de 60% das pessoas que procuram a Clinic Cursos em busca dos procedimentos injetáveis são das classes C e D. Muitas delas chegam até a escola pelos valores mais acessíveis que os encontrados em clínicas do ramo” explica a CEO.

Entre os tratamentos procurados pelo público, estão em alta os bioestimuladores de colágeno, fios de PDO, a harmonização facial e o famoso Botox. De acordo com a CEO, o feedback desses consumidores é diferente dos demais. “Elas parecem ter mais orgulho dos procedimentos realizados, postando fotos do antes e depois, diferente de outros grupos, das classes A e B, por exemplo, que não costumam assumir publicamente nas redes e com tanta frequência que fizeram procedimentos estéticos”, revela.

Paula Caroline Garcia CEO da Clinic Cursos

Ainda de acordo com Paula Caroline Garcia, com a retomada da economia as pessoas que haviam pausado seus tratamentos voltaram a buscar os procedimentos. Os consumidores com menos poder aquisitivo foram em busca dos serviços mais viáveis e dentro do seu orçamento, como os oferecidos pela Clinic Cursos.

“Ficamos satisfeitos e felizes, quando em nossas divulgações somos procurados por pessoas que antes não tinham condições de realizar procedimentos estéticos e agora podem. É gratificante ver a felicidade dessas pessoas após o resultado”, comemora a CEO da Clinic Cursos.

 

INJETÁVEIS ESTÃO CADA VEZ MAIS PRESENTES NO DIA A DIA

De alguns anos para cá, muitas clínicas estão se adaptando a essa nova realidade de injetáveis e fornecendo atendimento para todas as classes, como é o caso da Odontologia Personare, local em que a dentista Francisca Silva atende.

Dra. Francisca Silva Cirurgiã Dentista Especialista HOF

“Nós atendemos todos os públicos sem distinção nenhuma. Para ter uma noção, cerca de 40% das clientes que passam pela clínica, são pessoas das classes C e D. Acredito que nossa facilidade de pagamento atrai bastante essas pessoas”, afirma a dentista especializada em estética.

Hoje, os procedimentos oferecidos pela odontologia Personare, na parte de Harmonização Facial são: toxina botulínica, preenchimentos, Skinbooster, Peeling, Bichectomia, Lipo de papada 3D e enzimática, Bio Filer (PRRF), Hidragloss e BBwhite, que saem em torno de R$ 600 à R$ 2.500 reais.

“Nossos valores estão dentro da média de preço, de clínicas que atendem todos os públicos. Como eu disse, acho que nossa facilidade de pagamento atrai bastante o cliente. O nosso diferencial no atendimento também faz muita diferença na hora do paciente nos escolher”, explica Francisca Silva.

 

CONSUMO DE TODAS AS CLASSES PERMITE ELEVAMENTO DA AUTOESTIMA

Geralmente, por serem procedimentos estéticos de alto padrão e possuírem um preço mais acessível, pode haver aquele medo da segurança do procedimento, mas a dentista explica que isso não tem nada a ver, “desde que seja feito por um profissional devidamente habilitado, não existem riscos para o procedimento.”

Questionada sobre a importância da igualdade estética para classes C e D, a Francisca Silva diz estar contente com essa nova etapa dos injetáveis, “acho excelente todos terem acesso aos tratamentos. Hoje, os produtos estão com os valores mais acessível e com maior qualidade, devido a grande concorrência das marcas, com isso todas as classes podem se cuidar, elevando assim a autoestima”, finaliza.

 

BRASIL SÓ PERDE PARA ESTADOS UNIDOS EM PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS

Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), o Brasil é o segundo país na liderança de procedimentos estéticos, ficando atrás somente dos Estados Unidos. Já o procedimento injetável mais procurado no mundo é a toxina botulínica (Botox).

O crescimento do setor pode ser avaliado pelos números de profissionais da área que, nos últimos sete anos, saltou de 72 mil para cerca de 500 mil. Com a expansão do segmento, o leque de consumidores também ampliou atingindo outras classes sociais.

Por possuírem mais conhecimento da área, as mulheres lideram o empreendedorismo no mercado de saúde estética

Segundo dados do Serasa Experian, as mulheres já comandam 43% dos negócios no Brasil. Já uma pesquisa do Sebrae aponta que o setor de beleza e estética é um dos que mais se desenvolvem com o empreendedorismo feminino. O Instituto Data Popular informa que o brasileiro gasta cerca de R$ 53,9 bilhões com cosméticos atualmente.

A combinação de mulheres em posições mais altas com o crescimento do setor, está relacionada ao nível de satisfação. De acordo com o Sebrae, 66% das empreendedoras decidiram abrir o próprio negócio para fazer algo que tragam satisfação.

Como as mulheres, em geral, frequentam muito mais os espaços estéticos do que os homens, esse tipo de negócio pode crescer muito nas mãos de quem entende, afinal, elas podem ter ideias sobre o que precisa ser feito de diferente e como podem melhorar a experiência com o seu cliente.

Dra. Ana Carolina Puga

Em crescimento junto com esse mercado, Ana Carolina Puga, biomédica e CEO da NEPUGA/FAPUGA, tem em sua trajetória todo esse reflexo do empreendedorismo feminino. Considerada a “mãe da biomedicina estética”, ela fundou a primeira clínica de biomedicina estética do país, na cidade de Sertãozinho, interior de São Paulo.

Atualmente, a NEPUGA, uma das escolas mais respeitadas no Brasil nas áreas de Biomedicina Estética, Enfermagem Estética, Farmácia Estética e Saúde Estética já especializou mais de 40 mil pessoas entre cursos e pós-graduação.

Além disso, possui 9 clínicas escolas e 17 polos de apoio, locais que acontecem todas as aulas práticas presencias, em nove cidades do Brasil. Já a faculdade, a FAPUGA, tem sede na cidade de São Paulo e possui quatro cursos de graduação, dois presenciais e dois semipresenciais.

O COMEÇO DA JORNADA

Antes da criação da NEPUGA/FAPUGA, Ana Carolina concentrou seus esforços na ACorPoralle, primeira clínica de saúde estética e biomedicina estética do país, localizada em Sertãozinho, cidade do interior de São Paulo, com pouco mais de 120 mil habitantes nos dias de hoje.

“Quando eu escolhi Sertãozinho, foi por dois motivos: primeiro porque é a cidade de onde eu venho, onde eu tinha relacionamentos, onde meus pais moravam, e o segundo ponto é que não tinha nenhuma clínica com esse porte naquela cidade. Então para mim, seria muito mais fácil competir ali do que em outro lugar”, afirma a biomédica.

A clínica foi nascendo, de pouco em pouco, com a ajuda de outros profissionais da área da saúde, por exemplo, fisioterapeutas, nutricionistas, esteticistas e médicos. Na época, em 2005, a estética era bem convencional, com métodos que possuíam um resultado mínimo, por isso a biomédica se dedicou aos estudos e formação de uma nova estética, que garantisse maiores resultados.

Para Ana Carolina, a cirurgia plástica não deveria ser a uma opção de procedimento estético. Ela queria uma solução rápida, boa, acessível e sem risco, por isso, em 2006 decidiu se dedicar ao direito de o biomédico praticar a saúde estética.

E NASCEU A BIOMEDICINA ESTÉTICA

Após quatro anos de longas conversas com o Conselho Federal de Biomedicina, em 2010, Ana Carolina recebeu a autorização para exercício da biomedicina estética, e logo de cara, formou suas três primeiras turmas de cursos livres de saúde estética realizado ainda pela ACorPoralle.

Nesse mesmo ano, fundou a NEPUGA Pós-graduação, a primeira escola para cursos de biomedicina estética e saúde estética do Brasil. Até hoje, a escola é a pioneira no assunto, sendo procurada por profissionais de todo o país e todas as áreas da saúde.

“Quando a Biomedicina Estética foi aprovada, dois anos depois, veio a Farmácia, e nisso a saúde estética começou a ter muitos farmacêuticos, biólogos, dentistas, entre outros, atuando nessa parte. Foi aí que eu parei e pensei: isso não vai ajudar só a Biomedicina, isso vai ajudar muitas outras pessoas, outros profissionais”, explica a biomédica.

Considerada a mãe da biomedicina estética, Ana Carolina diz que vê esse título como uma grande responsabilidade. “Eu me vejo, de fato, como uma mãe, que quer tudo aquilo que teve de melhor para os seus filhos; Quero o melhor que tive para essa futura geração.”

O CRESCIMENTO E A INOVAÇÃO EM SERTÃOZINHO

Como a ACorPoralle foi uma inovação na cidade de Sertãozinho, a biomédica diz que viu a necessidade da cidade em ter esse tipo de negócio, já que a clínica mais próxima ao município ficava em Ribeirão Preto, cidade com cerca de 20 km de distância.

“Se as pessoas precisam ir para Ribeirão para terem tudo isso, por que não oferecer aqui em Sertãozinho, para que não precisem ir para Ribeirão Preto? Por que não oferecer aqui algo com qualidade, feito por uma profissional de saúde, com conhecimentos técnicos e biológicos suficientes para poder ajudar o paciente chegar na solução tão desejada e resolver o problema do paciente?.”

Quando Ana Carolina abriu a clínica, o mercado ainda não era tão abrangente como é hoje. Em 2005, não existia o número de profissionais atuando nessa área, como existe hoje. Para ela, o rápido crescimento de seu negócio, em 12 anos, trouxe duas questões importantes a serem pautadas.

Vários biomédicos estavam desmotivados, desanimados ou não se encontravam nas áreas de atuação, e a vinda da estética mudou isso. Outro pronto, é que essa nova área também trouxe um teor técnico-científico, impulsionando assim, a produção de trabalhos científicos para compor a fundamentação da estética biomédica.

Na ACorPoralle, o DNA da biomedicina estética estava nascendo. Com o sucesso da clínica, alguns colegas de profissão começaram a procurar Ana Carolina para entender o que era essa estética dentro da biomedicina, e então, a percursora de tudo isso conseguiu formar os primeiros biomédicos estetas do país.

“O que fiz foi transmitir meus conhecimentos e experiências para aqueles profissionais que tinham o sonho de fazer muito mais do que viver em laboratórios. Assim como eu, eles buscavam por uma mudança de vida dentro de suas profissões”, afirma Ana Carolina Puga.

Na contramão da crise e na fase de porta-fechadas, a Espaçolaser faturou 50% a mais no comparativo com o ano pré-pandemia, mesmo sem poder iniciar o tratamento naquele momento. A rede aprimorou as vendas de pacotes pelo e-commerce e pelo App e o setor chegou a ser responsável por 65,4% das vendas da companhia (atualmente  o digital ainda é majoritário, representando 60% das transações). O balanço positivo é trazido por Paulo Morais, CEO e fundador da Espaçolaser, nosso quarto convidado da série de entrevistas de fim de ano do portal Estética & Mercado.

Os resultados da rede seguem a tendência do segmento de beleza, saúde e serviços, um dos primeiros a se recuperar após o período pandêmico mais intenso. Mesmo diante da retração mundial, o setor faturou R$ 10,7 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) – o segmento registrou desempenho positivo, de 5,4% no 4º trimestre e de 3,1% no acumulado do ano.

Paulo Morais, CEO e fundador da Espaçolaser, prevê ritmo de crescimento orgânico nos próximos anos e deve chegar a 62 novas cidades apenas em 2022.

Segundo o CEO da Espaçolaser, a pandemia permitiu e estimulou o aumento da expertise em vendas digitais. Somado ao contínuo engajamento de times e ao isolamento social, essa nova realidade virtual permitiu uma maior aproximação dos clientes e o crescimento das compras pela internet.

No segundo trimestre de 2020, o e-commerce da rede representava apenas 31,4% do faturamento, enquanto no mesmo período deste ano, esse número mais que dobrou, chegando a  65,4% e ultrapassando as vendas tradicionais.

Em 2021, a companhia também expandiu os negócios para o mercado chileno e abriu 100 unidades, chegando a 700 clínicas. Em projeção para 2022, a rede já mapeou 62 novas cidades para ampliar a presença da marca, que tem como sócia-embaixadora a apresentadora Xuxa Meneghel. Outra estratégia programada para o próximo ano é focar no adensamento da rede em locais em que já está presente e ampliar a capilaridade da marca.

O grupo conta também com o potencial da Estudioface, franquia focada em serviços de cuidados com a pele, estética facial e injetáveis não-invasivos, uma das apostas da rede em tratamentos.

Para completar a fase de sucesso, a Espaçolaser recebeu este ano o prêmio de Reclame Aqui 2021 na categoria “Beleza, Estética e Cosméticos” devido a excelência no atendimento ao consumidor. Em entrevista para o portal E&M, o CEO e fundador da rede, Paulo Morais, por meio de assessoria, explica como a rede chegou a esses resultados, as propostas que traz para 2022 e o potencial do cenário da depilação a laser e dos cuidados com a pele. Está imperdível!

A rede, que chegou a 700 franquias em 2021, aprimorou as vendas pelo e-commerce e pelo App e vendas cresceram 50%

E&M – Com a melhoria do cenário pandêmico e o crescimento no setor, qual a expectativa da Espaçolaser para a saúde estética em 2022?

De uma forma geral, o setor de beleza e serviços é o primeiro a se estabilizar após uma potencial crise, uma vez que os consumidores passam a investir mais em si mesmos e na autoestima em vez de fazer algum tipo de aquisição material, ou até mesmo viajar. Nesse sentido, em 2022 a companhia continuará atenta às oportunidades do mercado, assim como manterá o ritmo de crescimento orgânico nos próximos anos. Para 2022, já mapeou 62 novas cidades para ampliar sua presença. 

Outro ponto importante é o potencial de mercado: segundo levantamento realizado*, em 2019, aproximadamente 78% da população feminina brasileira entre 12 e 65 anos e 9% da população masculina** na mesma faixa etária utiliza algum método de depilação, totalizando 69 milhões de usuários. Nesse contexto, as pessoas que se depilam com regularidade, apenas 5% fazem com laser. Apesar disso, é um mercado que está crescendo rapidamente – o que destaca o método com o mais alto potencial de adoção por novos consumidores dentre as diferentes tecnologias disponíveis no mercado. Nos EUA e Espanha, essas taxas chegam a 20% e 50% de penetração, respectivamente.

E&M – A pandemia mudou o perfil da procura dos tratamentos? Quais têm sido os procedimentos mais procurados pelo público?

A pandemia impulsionou o setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, que também apresentou crescimento no período, muito devido à crise sanitária por conta da pandemia. O segmento de cuidados com a pele também apresentou aumento significativo quando comparado com o mesmo período de 2019, sendo que nesse segmento, todos os produtos cresceram acima de dois dígitos de janeiro a dezembro de 2020.

Percebemos esse aumento de ambas as marcas da rede por meio do aumento de unidades da Estudioface, focada em serviços de cuidados com a pele e estética facial, e Espaçolaser, que cresceu também proporcionalmente, junto com as novas unidades.

E&M – Também ocorreu uma mudança de perfil dos franqueados? Quais estratégias adotaram para driblar o período mais crítico da pandemia

De acordo com o Sebrae, 80% das micro e pequenas empresas fecham as portas nos cincos primeiros anos, em negócios franqueados, esse percentual é de 15%. Segundo a ABF, a taxa de mortalidade das franquias era de 3,9%, em 2019. Percebemos que o modelo é atrativo, pois continuamos com alta procura por franquias, visto que o modelo de negócio conta com diversas vantagens, como um modelo de negócio mais seguro e eficiente, se comparado com as empresas criadas do zero. A segurança é proporcionada pela experiência das redes de franquias em atuação no mercado, atendimento dos clientes, vendas, desenvolvimento de produtos e serviços. Além do know how de mercado e treinamentos aos franqueados.

No período de pandemia, em que algumas unidades do setor ficaram fechadas, muitos se reinventaram, buscando uma maior digitalização e aproximação com os clientes. A própria digitalização das vendas, com o aplicativo, redes sociais e pelo comércio eletrônico, fez com que continuassem a vender, mesmo que de portas fechadas. Outras desenvolveram pacotes pré-pagos ou parcelados e os agendamentos online, aliados na captação e fidelização de clientes.

E&M – Recentemente a Espaçolaser anunciou a inauguração da unidade 700, como está o plano de expansão para 2022? Novas unidades serão abertas fora do país?

Sim, 2021 foi um ano de muitas conquistas. Além do IPO, início de atuação no mercado Chileno, tivemos dois marcos importantes: a loja 600ª e 700ª – essa última, localizada no Bourbon Shopping Teresópolis, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, fica na região de nascimento da sua sócia-embaixadora da companhia, Xuxa Meneghel. A nova loja é também a 13ª Espaçolaser a operar no conjunto de shopping centers e galerias comerciais do Grupo Zaffari, que é administrado pela AIRAZ Administradora.

Como citamos, em 2022 a companhia continuará atenta às oportunidades do mercado como um todo, assim como manterá o ritmo de crescimento orgânico nos próximos anos. A estratégia da companhia tem sido focar no adensamento em locais em que já está presente, assim como ampliar a capilaridade da marca, trazendo ganhos significativos de gestão e eficiência da empresa.

E&M – Na pandemia a marca conseguiu ter um crescimento no faturamento?

A Espaçolaser orgulha-se em ser um business de sucesso dentro do varejo de serviços de beleza. Os fatores que colaboram para isso são: fisioterapeutas com mais de 100 horas de treinamento na Universidade do Laser; alto NPS, o que acarreta cerca de 80% da base de clientes a conhecer a empresa por indicação; a capilaridade da rede e a rapidez do tratamento (média de 5 a 10 minutos por área), que proporcionam conforto e comodidade para o cliente.

Em decorrência das medidas restritivas associadas à disseminação da pandemia de COVID-19, a Espaçolaser encerrou temporariamente as operações em loja. Durante esse período, a empresa focou em sua força de vendas, além do e-commerce e dos pacotes promocionais. A companhia vendeu 50% mais se comparado ao período pré-pandemia, mesmo sem poder iniciar o tratamento naquele momento.

E&M – A empresa já possuía vendas pelo e-commerce antes da pandemia? O que mudou após a crise mundial?

A pandemia em 2020 trouxe muitos aprendizados para a Espaçolaser, incluindo impulsionar a transformação digital da Companhia, com destaque para o aumento da expertise em vendas digitais, o contínuo engajamento de seus times, e uma maior aproximação dos seus clientes. Dentre os aprendizados que trazem resultados para a operação estão: o time está mais preparado à nova realidade, a companhia desenvolveu novas funcionalidades para o e-commerce e seu aplicativo proprietário, assim como trouxe ganhos significativos de gestão e eficiência, que garantiram melhor rentabilidade no segundo trimestre de 2021. Neste sentido, no período, as vendas digitais representaram 65,4% das vendas totais, frente a 31,4% no segundo trimestre de 2020. Atualmente representa 60%.

O segmento de serviços de Beleza e Bem-Estar já apresenta crescimento. Beneficiado pela decisão de parte dos consumidores em aproveitar a quarentena para realizar procedimentos permanentes, acrescido do aumento do desejo de bem-estar. Mesmo em um contexto delicado, percebe-se um redirecionamento de recursos que seriam utilizados para outros fins, como viagens e outras atividades sociais restritas nesse período também influenciaram para o segmento. 

E&M – Para 2022 quais são as principais apostas da marca?
Como companhia estamos atentos às oportunidades no mercado no segmento de autocuidado. Por ter uma missão de marca muito clara – democratizar o bem-estar por meio da melhor tecnologia de ponta e promover acessibilidade ao serviço – encontrar oportunidades que vão ao encontro desse propósito é uma consequência. De toda forma, nossa aposta continua sendo na expansão nacional e internacional, eficiência na gestão operacional, investimento em tecnologia e omnicanalidade [comunicação de marketing uniforme e linear dentro dos canais físicos e digitais de uma marca], além, claro, da qualidade na prestação de serviços. 

E&M – A marca recebeu o Prêmio Reclame Aqui 2021 na categoria Beleza, Estética e Cosméticos devido a excelência no atendimento ao consumidor. Como a empresa conseguiu atingir esse padrão de atendimento? Qual o principal diferencial da rede no tratamento com o público?

Sim. É uma honra receber o Prêmio Reclame Aqui 2021, a maior premiação de atendimento ao cliente do país. Essa conquista é fruto do trabalho intenso da equipe, envolvendo os times de toda a rede, para elevar a prestação de serviços da companhia, assim como tornar depilação a laser em nossas unidades uma experiência cada vez mais segura, confortável e eficiente. Investimos em tecnologia de ponta, treinamento – são mais de 100 horas de formação –, profissionais com qualificação técnica, visto que os procedimentos são realizados exclusivamente por profissionais da saúde, iniciativas o melhor atendimento melhor que visam proporcionar a melhor experiencia de marca aos nossos clientes. Ficamos contentes com a premiação, pois a eleição por votação direta dos consumidores é, para nós, um sinal de que estamos no caminho certo.

E&M – Hoje o mercado de injetáveis é um dos mais valiosos, como vocês avaliam a entrada desses multiprofissionais no setor? 

Já investimos neste mercado com a Estudioface e acreditamos muito nele. Em nosso business, as atividades concentram-se em prevenção, rejuvenescimento e estética facial, oferecendo tratamentos a valores acessíveis e que previnem o envelhecimento cutâneo.

*Fonte: Informações da Pesquisa Primária, realizada com uma amostra de 5946 respondentes, com auxílio de consultora internacional especializada e dados do IBGE. / **Para homens, não considera aqueles cujo único procedimento utilizado é barbear-se com lâmina ou aparar o cabelo.

Apesar da pandemia, 2021 foi um ano bom para o setor de saúde, beleza e bem-estar, que absorveu boa parte da verba destinada a turismo e lazer durante o isolamento.O desenvolvimento do atendimento via WhatsApp e até serviço de delivery permitiram que as franquias continuassem competitivas no mercado. A alta procura por cuidados pessoais e a rápida resposta digital manteve assim o segmento em alta, segundo Silvana Buzzi, diretora executiva da Associação Brasileira de Franchising (ABF), nossa terceira convidada da série de entrevistas de fim de ano do portal Estética & Mercado.

Dados da ABF mostram que mesmo com a crise causada pelo Covid-19 em 2020, o setor apresentou um crescimento de 0,4% no faturamento e 3,1% no número de unidades. O setor cresceu 9,1% apenas neste terceiro trimestre de 2021. De acordo com Silvana, o aumento se dá pelo desenvolvimento dos canais de venda, substituição de recursos que eram usados em outras áreas, como viagens, além da tendência do cuidado pessoal.

Silvana Buzzi, diretora executiva da ABF: “Para 2022, a expectativa do setor é continuar crescendo, principalmente pela retomada do convívio social, a abertura integral do comércio e o avanço da vacinação e seus reflexos.”

Um diferencial para que o setor se mantivesse aquecido e ampliasse o faturamento está relacionado ao aperfeiçoamento dos canais digitais de venda. As franquias passaram a se comunicar melhor por meio das redes sociais e WhatsApp, além de inovar com o uso de serviço de delivery, que antes não era comum no segmento.

A ABF atua há mais de 30 anos no mercado e possui cerca de 1,2 mil associados no país. Em entrevista para o portal E&M, a diretora executiva da associação, por meio de assessoria, trouxe dados do setor durante o período mais crítico da pandemia e as projeções do cenário em 2022. Confira os principais destaques do mercado de acordo com a nossa entrevistada da semana, Silvana Buzzi.

E&M – Durante a pandemia, como a ABF avalia o crescimento no setor de franquia de estética e saúde? Ocorreu um aumento no número de franqueados nesses segmentos ou diminuiu? A que vocês atribuem isso?

De forma geral, o segmento de Saúde, Beleza e Bem-estar foi um dos mais resilientes do setor de franquias. Mesmo em 2020, essas franquias apresentaram um crescimento de 0,4% no faturamento e de 3,1% em número de unidades. Em nosso último balanço, referente ao 3º trimestre de 2021, essas redes registraram um crescimento de 9,1% no faturamento. Esse desempenho se deve a vários fatores, mas gostaríamos de destacar o desenvolvimento de canais digitais de vendas, o consumo de substituição (o redirecionamento de recursos de outras áreas como viagens) e a manutenção da tendência do cuidado pessoal. Algumas redes de estética notaram também que muitos consumidores aproveitaram o momento de menor convivência social para realizar procedimentos mais invasivos.

E&M – A pandemia mudou o perfil dos franqueados do segmento de estética e saúde?

É um pouco cedo para fazer uma avaliação mais precisa, mas, como já ocorreu em outros momentos de economia em ritmo mais lento, cresceu o empreendedorismo por necessidade, ou seja, profissionais empreendendo como alternativa de emprego e renda. Na área de Saúde Beleza e Bem-estar é comum também a figura do multifranqueado, ou seja, aquele franqueado que administra mais de uma unidade. Muitos assumiram pontos em dificuldade durante a pandemia, contribuindo assim para a manutenção de negócios e postos de trabalho. 

E&M – Com base nos dados mais recentes, o setor já está recuperado e voltou a ser competitivo e ter mais visibilidade no mercado exterior?

Assim como o setor de franchising como um todo, as franquias de Saúde Beleza e Bem-estar vem desenhando uma curva robusta de recuperação, com a vantagem de partir de uma base menos deprimida, pois conseguiu preservar seu resultado em 2020 mesmo em um cenário tão adverso. E, de fato, houve um ganho de competitividade em dois aspectos principais: desenvolvimentos importantes em termos de eficiência e digitalização de processos e o desenvolvimento de canais digitais de vendas. Por exemplo, o segmento passou a se comunicar melhor com seu público via redes sociais e WhatsApp, realizando inclusive vendas e montando, em alguns casos, operações de delivery que ainda não eram tão comuns neste segmento. Quanto a internacionalização, de fato, houve uma diminuição no ritmo, mas gostaríamos de ressaltar que ela permanece e tende a ganhar mais corpo com a retomada da economia e com o câmbio depreciado.

 E&M – Com o aumento da inflação, os consumidores estão com o poder de compra reduzido. Diante deste cenário, quais as estratégias mais usadas pelos franqueados para driblar essa situação em 2022?

De fato, este é um desafio, mas as franquias têm investido em ganhos de eficiência para tentar compensar, pelo menos em parte, estes impactos. O desenvolvimento de produtos e serviços mais acessíveis também é outro caminho, bem como a ampliação dos canais de venda de forma a atingir públicos mais amplos.

E&M – Durante a pandemia as empresas conseguiram manter ou ter um crescimento no faturamento?

Sim. Historicamente, este segmento tem um desempenho acima da média do setor, em grande parte pela fortaleza de suas marcas (muitas estão entre as 50 maiores do setor no Brasil), pela cultura brasileira e, principalmente, pela tendência do cuidado pessoal e bem-estar que é bem consolidada no Brasil e tende a perdurar nos próximos anos.

E&M – Qual a projeção para o setor de estética e saúde em 2022 no ramo das franquias? Quais devem ser os destaques? E quais os desafios?

Para 2022, a expectativa do setor é continuar crescendo, principalmente pela retomada do convívio social, a abertura integral do comércio e o avanço da vacinação e seus reflexos. Isso se aplica ao segmento de Saúde, Beleza e Bem-estar, sendo que é sempre bom lembrar que, historicamente, costuma superar a média do setor. Quanto aos desafios, gostaríamos de destacar a inflação – que exigirá ainda mais medidas de eficiência e controle – a reconquista do consumidor, ainda bastante afetado pela pandemia, e a manutenção de um equilíbrio entre os novos canais digitais desenvolvidos e o atendimento presencial.

 E&M – Como o trabalho desenvolvido pela associação contribui para o desenvolvimento do setor de saúde e dermocosméticos? Esse papel se alterou ou teve que se adaptar ao longo dos anos?

O propósito da ABF é fomentar o franchising brasileiro, nacional e internacionalmente, para que ele se mantenha próspero, sustentável, inovador, inclusivo e ético. Fazemos isso por meio da capacitação de pessoas em diversos cursos presenciais e on-line, do estímulo à inovação, da disseminação das melhores práticas por meio de eventos e congressos, da representação junto às diversas instâncias públicas e divulgação dos resultados do setor, dentre outros. Destaque também para as feiras de franquia, cuja edição de São Paulo, por exemplo, atrai mais de 60 mil pessoas, e a realização de missões internacionais nas quais temos contato direto com mercados mais maduros, como os EUA e a Europa, ou em ascensão, como a China. 

Promovemos ainda o Selo de Excelência em Franchising (SEF), principal chancela do setor concedida por meio de pesquisa exclusiva com os franqueados da rede. Essas atividades se aplicam a área de saúde e dermocosméticos, sendo que a entidade dispõe ainda de uma comissão de Saúde, Beleza e Bem-estar formada por redes desta área para discutir os desafios e tendências, além de trocar experiências.

A longa exposição às telas durante a pandemia fez crescer a procura por tratamentos estéticos, especialmente de injetáveis. O resultado foi sentido diretamente no balanço de final de ano da Galderma, multinacional suíça com mais de 40 anos de atuação e líder no mercado na área de produtos dermatológicos. Quem nos contou os detalhes desse crescimento em 2021,  foi Lígia Santos, head da unidade de negócios de Aesthetics da Galderma, nossa segunda convidada da série de entrevistas de fim de ano do portal Estética e Mercado.

Apenas a unidade de negócios Aesthetics  teve um crescimento que chegou a 57% em relação ao ano anterior. Entre os destaques da rede, a Galderma anunciou em novembro a sua expansão para o mercado norte-americano com a compra da Alastin, empresa especializada em produtos para a pele que desde 2016 vem crescendo em média 106% ao ano. Também acaba de chegar a 50 milhões de tratamentos apenas com o preenchedor Restylane®, que completou 25 anos no mercado. 

Lígia Santos, head da unidade de negócios de Aesthetics da Galderma: “a chave para seguirmos na liderança deste mercado é a confiança dos médicos e profissionais injetores nos nossos produtos e a satisfação do consumidor final no resultado.”

As marcas Sculptra® e Restylane®, aliás, foram consideradas top of mind dos profissionais da saúde nas categorias Bioestimuladores de Colágeno e Ácido Hialurônico. As duas linhas representam cerca de 42,9% do faturamento da Galderma registrado até outubro de 2021.

Em entrevista para o nosso portal, a head Lígia Santos respondeu, por meio da assessoria, como está o cenário do setor perante a pandemia, como o uso de telas projetou o mercado de injetáveis não invasivos, os destaques da empresa neste período e uma prévia do que preparam para 2022. Confira!

E&M – Durante a pandemia, como avaliaram a procura de injetáveis na indústria? O setor se manteve aquecido ou ocorreu uma queda? A que vocês atribuem isso?
O setor de procedimentos estéticos pouco invasivos vem crescendo consideravelmente desde 2019. Nesse mesmo ano, a ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery) constatou que o Brasil está entre os três maiores países em número de procedimentos estéticos pouco invasivos no mundo.

Durante a pandemia, a procura por esses tipos de procedimento continuou aumentando. As pessoas passaram a se olhar mais nas telas, por conta de infinitas videochamadas, e a observar algumas características que gostariam de realçar ou amenizar.

E&M – Os produtos fabricados pela Galderma possuem matéria-prima originária de outros países? Se sim, acabam sofrendo com a variação do dólar?
Sim, como uma empresa multinacional, seguimos uma cadeia de supply global, sempre com foco em entregar a melhor qualidade aos nossos consumidores.

E&M – Como se adaptam a esse cenário? E qual a estratégia para manter preços competitivos no mercado?
 A Galderma como empresa oferece a pacientes e profissionais o que há de mais premium em tratamentos estéticos pouco invasivos. Seja com relação aos nossos produtos que estão sempre em processo de melhoria contínua e com alto investimento em pesquisa por trás, seja com relação aos nossos serviços e foco na educação e aprimoramento dos injetores.

As marcas da Galderma, Sculptra® e Restylane®,foram consideradas top of mind dos profissionais da saúde nas categorias Bioestimuladores de Colágeno e Ácido Hialurônico em 2021

E&M – Quais os produtos são produzidos somente com matéria-prima do Brasil? A questão do meio-ambiente está em alta, e o Brasil é um dos principais polos de biodiversidade, acredita que esse fato pode auxiliar na exportação?
A nossa linha de produtos injetáveis é produzida fora do Brasil. Estamos continuamente fortalecendo o nosso perfil em ESG [Governança Ambiental, Social e Corporativa, em tradução da sigla em inglês] e, de modo geral, acreditamos que é importante criar valor compartilhado com os consumidores e pacientes que servimos, bem como com os nossos funcionários, investidores e a sociedade como um todo. 

Também sabemos que a saúde de nossa pele é um reflexo do mundo em que vivemos e estamos orgulhosos que os nossos esforços contribuam para torná-lo um lugar melhor. Continuamos especialmente trabalhando para sermos mais limpos e mais eficientes – utilizando menos recursos e criando menos lixo​.

E&M – A pandemia mudou o perfil do consumidor? Ou a procura pelos produtos manteve o padrão?
Certamente mudou. Ao passar mais tempo em casa, as pessoas passaram a se olhar mais e investir mais no autocuidado. Além disso, mudanças na rotina e nas formas de interação social, trouxeram à tona alguns desconfortos com a pele para os quais o portfólio Galderma traz soluções. Vimos termos como Tech Neck, Efeito Zoom e Maskne, surgirem para explicar algumas questões com a pele que surgiram nesse cenário de pandemia.

O tech neck é o resultado de uma má postura cervical desenvolvida quando há um longo tempo de inclinação do pescoço ao utilizar dispositivos eletrônicos. O “pescoço tecnológico” causa alterações na saúde da pele, podendo formar rugas no pescoço e até mesmo flacidez. Já a maksne, foi um termo cunhado para se referir ao aumento de acne no rosto provocado pela oleosidade trazida pelo uso frequente de máscara.

Enquanto isso, o Efeito Zoom, surgiu inspirado nas inúmeras videochamadas durante o dia e o recorrente hábito de ver seu próprio reflexo nas telinhas. O que resultou em muitas horas no dia observando o próprio rosto, aumentando o desejo pelo autocuidado.

E&M – Quais foram os principais produtos lançados pela marca em 2021 e qual deles recebeu maior destaque?
Todo ano, nós realizamos o evento Managing Aesthetics Patients (MAP) que reúne profissionais da Dermatologia, Cirurgia Plástica e Medicina Estética do país para discutir e lançar novas técnicas de aplicação, tendências no mercado de estética e inovações. Neste ano, com nossa quinta edição, lançamos quatro Signature Techniques (técnicas de aplicação) exclusivas desenvolvidas por nós em parceria com profissionais que são referência em medicina estética: a Kyssability for Men; a Defyning e a Defyning PRO e, por fim, a Firm&Up.

A Kyssability for Men TechniqueTM é um conjunto de técnicas para preenchimento labial masculino, utilizando preenchedores do portfólio Restylane®, como Restylane® KysseTM e Restylane® VitalTM. Sua principal função é definir os traços dos lábios preservando a sensibilidade e a movimentação dinâmica da boca e região dos lábios.

Já as técnicas Defyning e Defyning PRO, como os próprios nomes sugerem, procuram definir e realçar os contornos da face. Ambas as técnicas podem utilizar os preenchedores à base de ácido hialurônico Restylane® DefyneTM ou Restylane® LyftTM, mas com objetivos distintos.

Defyning TechniqueTM visa definir e realçar os contornos da mandíbula, enquanto Defyning PRO TechniqueTM ajuda a dar mais projeção ao queixo e/ou reposicioná-lo. Uma opção a ser considerada por aqueles que desejam realçar essa área do rosto sem recorrer a intervenção cirúrgica.

Por último, mas certamente um dos mais esperados lançamentos da marca, a Firm&Up TechniqueTM visa auxiliar na recuperação da firmeza e sustentação dos glúteos, bem como proporcionar um efeito lifting, por meio do primeiro e único bioestimulador de colágeno à base de ácido poli-L-lático com indicação de uso para face e corpo, Sculptra®. Usado há 17 anos no Brasil para fins estéticos, o produto está entre os preferidos de celebridades.

E&M – A empresa conseguiu ter um crescimento no faturamento em comparação ao período anterior à pandemia?  

A unidade de negócios da Galderma especialista em desenvolvimento de produtos e técnicas para procedimentos estéticos pouco invasivos, reforçou sua liderança deste mercado, e acumulou 43,6% de participação de mercado até outubro de 2021, segundo o Import Analytics, projeto IQVIA que reporta dados de importação disponibilizados pela Receita Federal. 

Quando observado o desempenho de vendas nas categorias de bioestimuladores de colágeno, também segundo o Import Analytics da IQVIA, percebe-se, até outubro de 2021, um crescimento de 57,5% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. 

Neste segmento, a Galderma também é líder, acumulando 52,6% de participação de mercado até outubro de 2021.  Além dos bioestimuladores, a empresa também é destaque em preenchedores de ácido hialurônico, registrando, até outubro de 2021, 42,9% de share.  

Não basta seguir na liderança do mercado, as marcas da Galderma também figuram entre as mais lembradas em suas categorias. Sculptra® e Restylane® foram consideradas top of mind dos profissionais da saúde nas categorias Bioestimuladores de Colágeno e Ácido Hialurônico. A pesquisa foi realizada pela HSR Health, entre janeiro e abril de 2021, e abordou 241 médicos, uma amostragem significativa de profissionais de saúde entrevistados. 

E&M – Para 2022 quais são as principais apostas da marca? Pode nos adiantar algum dos lançamentos previstos?
Ainda não posso adiantar os próximos lançamentos, mas posso dizer que a Galderma seguirá contribuindo com avanços científicos para que todos tenham a oportunidade de atingir seus objetivos individuais no que tange à saúde da pele. 

Acreditamos que a chave para seguirmos na liderança deste mercado é a confiança dos médicos e profissionais injetores nos nossos produtos e a satisfação do consumidor final no resultado que nossos tratamentos têm oferecido.

Nosso portfólio é fruto de muita pesquisa e desenvolvimento e está embasado por anos de estudos científicos. Restylane®, o preenchedor com 25 anos de comercialização e mais de 50 milhões de tratamentos já realizados no mundo todo.

O Sculptra®,  bioestimulador de colágeno com 17 anos de aplicação para fins estéticos, é usado por 9 em cada 10 médicos. São produtos consagrados pela segurança e performance, pois a Galderma prioriza a oferta de soluções e técnicas precisas para o cuidado e respeito a cada história de pele.

O Trinks, que é uma empresa investida do Grupo StoneCo, surgiu de uma dificuldade da sócia fundadora Carina Gerwec como cliente e já está no mercado há oito anos, oferecendo aos usuários uma gestão de negócios completa feita por meio de aplicativo e site. Com números e resultados impressionantes, a plataforma, por meio de Carina Gerwec, é a primeira convidada do site Estética e Mercado para o balanço de final de ano do setor e nos traz algumas de suas previsões para 2022.

Carina Gewerc, sócia fundadora do Trinks, primeira convidada do balanço Estética e Mercado

Entre as novidades, o Trinks anunciou recentemente parceria com o conglomerado Meta, dono de Facebook, Messenger e Instagram, com o intuito de facilitar a interação dos usuários com os estabelecimentos cadastrados. Desde então, a empresa já realizou 100 milhões de agendamentos e alcançou 1 milhão de usuários. 

Já são 60 mil negócios cadastrados no Trinks, incluindo grandes redes de beleza e estética no Brasil, como Werner Coiffeur, Spa das Sobrancelhas, Depyl Action e Doctor Feet. Apesar de já consolidada no mercado, a plataforma sofreu com os impactos da crise causada pelo coronavírus, tendo uma redução de 35% de novas assinaturas no período mais crítico da pandemia. 

Carina Gewerc teve a ideia do Trinks quando procurou um salão durante uma viagem e teve dificuldade para agendar; Atualmente, já com diversas atualizações, o serviço está disponível com assinaturas a partir de R$ 56

Em 2021 o cenário já foi mais animador para a empresa, cujo faturamento já aumentou 50% em relação ao ano anterior, muito disso atribuído ao dinamismo dado pelos acessos integrados às redes sociais.

Em conversa com o nosso portal, Carina Gewerc respondeu, por meio da assessoria da empresa, algumas questões de como a marca tem enfrentado as dificuldades do mercado e quais as expectativas para o ano de 2022. Confira a entrevista:

E&M – Como funciona o aplicativo da Trinks? Quais soluções oferecem para os profissionais de estética?
O Trinks atende exclusivamente o mercado de beleza e oferece solução tecnológica completa de gestão via aplicativo e site. Por meio da plataforma, os estabelecimentos aderentes têm acesso a serviços como organização e controles da agenda de clientes e de estoque, cálculo de comissões, realização de pagamentos, divisão de recebimentos, e acesso a ferramentas de marketing, dentre outros, além de poder divulgar promoções e fidelizar clientes. É indicada para todos os tipos de negócios (pequeno, médio ou grande) e também para rede de franquias.

E&M –  Em comparação aos softwares de gestão já existentes no mercado, qual o principal diferencial da Trinks?
Além de ser uma plataforma tecnológica completa de gestão para negócios de beleza, o Trinks é o principal canal de divulgação para os estabelecimentos do segmento apresentarem sua marca, produtos e serviços. E não podemos deixar de destacar que somos a primeira e única plataforma do segmento de beleza integrada com o Facebook (permitindo agendamento via Facebook, Instagram e Messenger), ampliando o alcance da divulgação e naturalmente aumentando a demanda.

[Somos] pautados sempre na transparência entre o salão, o profissional e seus cliente. Oferecendo uma solução com diversas funcionalidades, ao mesmo tempo simples de serem acessadas, atendemos do pequeno ao grande empreendedor.

O Trinks é uma plataforma simples, intuitiva e altamente automatizada, [mas] com o suporte humanizado. Disponibilizamos ferramentas para o estabelecimento trabalhar o marketing e fidelizar clientes: sms, e-mail marketing, lembrete de agendamento, pesquisa de satisfação, avaliação do estabelecimento, programa de fidelidade e muito mais.

Temos como objetivo principal permitir que o negócio esteja presente na vida de seus clientes, até mesmo nos momentos em que eles não estejam presentes em seu estabelecimento.

E&M – Durante o período mais crítico da pandemia, o número de clínicas e salões procurando por esse tipo de serviço aumentou?
O início do ano de 2020 foi bastante desafiador. Com a crise do coronavírus, todos os setores econômicos sofreram impactos e os efeitos colaterais da pandemia não seriam diferentes para o segmento de beleza. Acompanhamos dos pequenos aos grandes empresários fechando suas portas, passando a vender produtos e atender em domicílio. Passados os primeiros meses, o reflexo desse movimento afetou nosso negócio de tecnologia exclusiva para o setor com uma queda de 35% em novas de assinaturas, o que já era de se esperar, visto que no início da pandemia as pessoas reduziram o consumo e consequentemente não buscavam por serviços nos estabelecimentos de beleza. Mas não por um longo período, no início do segundo semestre, com a pandemia ainda em estágio de alerta, recuperamos o fôlego e vimos nossos números voltarem a crescer. Fechamos o ano de 2020 com crescimento de 45%. Estamos muito otimistas com os números de 2021, onde já temos 50% a mais de adesões e 35% a mais em agendamentos, comparado com o período anterior.

E&M –  Atualmente, quantos usuários fazem o uso do App (clínicas, salões e os pacientes)?
Temos mais de 60 mil estabelecimentos de beleza cadastrados e interessados em nossa plataforma, atualmente como uma base ativa de mais de 9 mil clientes. Além de possuirmos mais de 1 milhão de usuários finais utilizando o Trinks via site, aplicativo e redes sociais.

E&M – Como estão as projeções para o ano de 2022? Possuem atualizações previstas para o App?
Nossa estimativa é darmos continuidade às boas práticas realizadas até o presente momento e que estão fazendo nossos números de adesões crescerem cada vez mais. Atualmente, com a integração inovadora e pioneira no segmento com o Facebook, garantimos aos nossos clientes a possibilidade de terem sua marca, serviços e estabelecimento disponíveis e acessíveis em diversos canais, ampliando seu alcance e, consequentemente, aumentando sua demanda. 

A expectativa em relação a parceria com o Facebook é crescer em até 15% o número de agendamentos realizados e gerar, em até 6 meses, um aumento de 20% no número de estabelecimentos utilizando o Trinks. Além disso, queremos ampliar o alcance nacional [a empresa hoje atende em mais de 450 cidades do Brasil].

Trabalhamos constantes melhorias e evoluções para termos uma plataforma cada vez mais robusta e full service às necessidades de nossos players e para o ano de 2022 novidades que visam facilitar a forma de contratação de serviços e pagamentos dos mesmos, além de estreitar a relação entre o consumidor final e o dono do estabelecimento, já estão em fases finais de desenvolvimento e testes.

Vale mencionar que nosso objetivo não é apenas reforçar a solução completa de gestão pelo site, mas também pelo aplicativo Trinks Profissional, que já vem sendo um sucesso em números de downloads, com funcionalidades simples e intuitivas. Com ele a relação de transparência entre os donos e profissionais de beleza se faz um forte pilar, uma vez que todas as ações ficam registradas: agendamentos, histórico do cliente, preço, estoque, divisão de recebimentos e muito mais. Queremos cada vez mais inserir os negócios de beleza no mundo da tecnologia, automatizando processos e tornando-os menos burocráticos.

 

E&M –  Vocês realizam algum tipo de capacitação para os profissionais que fazem o uso do Trinks? E para o público, no geral, quais as soluções o App oferece?
O Trinks é uma plataforma tecnológica de fácil usabilidade, desenvolvida para que os donos e profissionais de estabelecimentos de beleza tenham controle total do seu negócio de forma rápida, prática e intuitiva, sem burocracia e complexidade sistêmica. Além de oferecermos suporte dentro do horário comercial de segunda-feira a sexta-feira, com atendimento humanizado via chat e e-mail, contamos com treinamentos ao vivo que acontecem semanalmente e também disponibilizamos em nosso canal oficial do Youtube vídeos tutoriais de usabilidade da plataforma, além de dicas gerais para que nossos assinantes possam gerar melhores resultados em seus negócios de beleza.

Pensando no consumidor final, disponibilizamos o site e aplicativo Trinks para que possam encontrar e agendar serviços de beleza a qualquer hora e de qualquer lugar. Vale reforçar que recentemente anunciamos uma integração inovadora com o Facebook, permitindo que os negócios contratantes da plataforma possam receber agendamentos diretamente dos perfis oficiais de seus consumidores enquanto navegam no Facebook, Instagram e Messenger, sem precisar ter o aplicativo ou entrar no site oficial do Trinks.

E&M – Por que o App foi criado? Como surgiu essa demanda? Estavam buscando atender alguma tendência de mercado?
Em meados de 2011, período em que existia uma necessidade de digitalizar negócios dos mais diversos segmentos, ainda que houvesse uma certa resistência de alguns setores, um grupo de sócios teve a ideia de criar um produto que atendesse pequenas e médias empresas e um grande número de clientes com tecnologia de ponta para um mercado que não tinha condições de bancar um projeto desse porte.

E foi logo no ano seguinte, 2012, que a história do Trinks começou, quando durante uma viagem a trabalho, em Goiânia, eu própria tive dificuldades em encontrar um salão de beleza com horário disponível para atender minhas necessidades. E, ao buscar na internet possíveis salões disponíveis, me deparei com informações incorretas.

Devido a esse contratempo, surgiu a ideia de desenvolver uma plataforma que reunisser todos os estabelecimentos de beleza em um só lugar com apresentação de fotos do local e profissionais, bem como suas avaliações, divulgação dos serviços, preços e promoções. Algo que também facilitasse a vida das pessoas que buscavam por esses serviços, permitindo que o agendamento fosse realizado sem a necessidade de contato telefônico.

Na época, ainda que bem distante da realidade, eu já trabalhava com tecnologia, sabia que se tratava de um projeto viável e promissor, visto as tendências tecnológicas mercadológicas. Vale mencionar que antes do lançamento para o mercado, foi feita uma versão teste da plataforma com objetivo de entender o comportamento e a demanda dos donos dos estabelecimentos de beleza, e foi percebido que a solução exigia mais do que apenas a possibilidade de agendamento. 

Passadas frequentes evoluções e melhorias, atualmente o Trinks é uma plataforma tecnológica completa de gestão para negócios de beleza, além de um importante canal de divulgação para clientes.

Procedimentos e meios que melhorem a qualidade de vida no período gestacional têm tido cada vez mais destaque no campo da estética e da saúde.  É o caso da massofilaxia, técnica de massagem que alivia estresse e ainda promove o cuidado estético da gestante. 

“A massofilaxia atua no relaxamento, alívio de dores, na melhora da mobilidade da gestante. [A técnica] alivia tensão nas articulações e sintomas de estresse e ansiedade”, explica a professora e empresária Cicelina Campos.

A professora e empresária Cicelina Campos utiliza método de massagem específicas para gestante que promove bem-estar e relaxamento

Também chamada de massoterapia, a técnica ameniza um dos incômodos mais comuns na gravidez: o inchaço causado pelo aumento de retenção de líquido. Segundo Cicelina, o diferencial do procedimento é que, ao melhorar a circulação, ele também gera relaxamento, melhorando o impacto emocional da gestação na mãe.

Reduzir a pressão física e emocional

De acordo com estudo do Instituto de Psiquiatria e Neurociência, do King’s College London,  as emoções durante a gravidez podem fazer com que as crianças nasçam mais suscetíveis ao estresse. Nesse contexto, reduzir a pressão física e emocional sobre as mães é essencial para saúde da gestante e do filho.

A professora afirma que pesquisas que fazem o uso das terapias manuais estão em alta, incluindo técnicas para auxiliar no tratamento de doenças. “Hoje existem muitos estudos e especializações que visam as terapias manuais e que têm se tornado grandes aliados nos tratamentos das doenças do século, como estresse, depressão, ansiedade”, explica a profissional.

De acordo com a professora, a massofilaxia para gestantes é diferente da drenagem linfática, pois traz benefícios que vão além da mobilização de líquidos

Técnica e restrições

A retenção de líquidos no período gestacional é muito comum, o volume dos fluidos nesta fase tem um aumento entre 25% e 35%.  A massofilaxia age por meio de um conjunto de manobras e manipulações que trazem efeitos sobre os tecidos subcutâneo, muscular, vascular e também nos sistemas nervoso e respiratório.

A professora Cicelina explica que a massofilaxia reúne vários outros estudos, o que permite a aplicação do procedimento em grande parte da população. Outro diferencial do método é que ele quase não possui contraindicações. O procedimento só não é recomendado em casos em que há dermatite no local, descontinuidade da pele (lesão), trombose ou ainda alguma restrição médica específica.

A prática não possui um limite de sessões, pode ser realizada quantas vezes forem necessárias. O tratamento só deve ser realizado por profissionais capacitados para realizar terapias manuais, como os fisioterapeutas, esteticistas e massoterapeutas.

Estética na gestação

Além dos benefícios para o corpo e a mente, a massoterapia também contribui para o cuidado estético da gestante. Cicelina conta que a técnica pode reduzir a evolução da celulite, amenizar os riscos de estrias e melhora da postura por aliviar as tensões musculares.

Também traz diminuição de edema e melhora do contorno corporal, além de amenizar os riscos de surgimento das varizes.

Evidencias científicas

As evidências para apoiar o uso da massofilaxia em gestantes têm aumentado nos últimos 30 anos. A massagem demonstrou ser valiosa para mulheres grávidas com ansiedade, depressão, dor nas pernas e nas costas, e mostrou benefício significativo na percepção da dor durante o trabalho de parto, segundo pesquisas científicas.

Gostou do tema? Clique abaixo e leia outros artigos científicos sobre o tema indicados pela pesquisadora Cicelina Campos .